Mensagens de Luz  
 
 
  Textos Espíritas  
 
 
  Mural de Recados  
 
 
  Guia de Centros Espíritas  
 
 
  Ouça Mensagens  
 
 
Página Inicial - O Espiritismo
 Home
 A Doutrina
  O que é?
  Conheça Allan Kardec
  Biografias
  Galeria de Imagens
  Fale Conosco
  Links Indicados
  Sugestão de Livros
  Obras Básicas
 O Espiritismo e Você
  Mensagens de Luz
  Textos Espíritas
  Mural de Recados
  Guia de Endereços
  de Centros Espíritas
  Ouça Mensagens
 
 
>> MURAL DE RECADOS
 
Mural
De: Victor Hugo
Para: Todos
E-mail: vhgdebem@gmail.com
Data: 12/06/15 08:45

O CÉU E O INFERNO, DE ALLAN KARDEC

CAPÍTULO VII



Há tendências viciosas que são evidentemente próprias do Espírito, porque se apegam mais ao moral do que ao físico; outras, parecem antes dependentes do organismo, e, por esse motivo, menos responsáveis são julgados os que as possuem: consideram-se como tais as disposições à cólera, à preguiça, à sensualidade, etc.

Hoje, está plenamente reconhecido pelos filósofos espiritualistas que os órgãos cerebrais correspondentes a diversas aptidões devem o seu desenvolvimento à atividade do Espírito. Assim, esse desenvolvimento é um efeito e não uma causa. Um homem não é músico porque tenha a bossa da música, mas possui essa tendência porque o seu Espírito é musical. Se a atividade do Espírito reage sobre o cérebro, deve também reagir sobre as outras partes do organismo.

O Espírito é, deste modo, o artista do próprio corpo, por ele talhado, por assim dizer, à feição das suas necessidades e à manifestação das suas tendências.

Desta forma a perfeição corporal das raças adiantadas deixa de ser produto de criações distintas para ser o resultado do trabalho espiritual, que aperfeiçoa o invólucro material à medida que as faculdades aumentam.

Por uma conseqüência natural deste principio, as disposições morais do Espírito devem modificar as qualidades do sangue, dar-lhe maior ou menor atividade, provocar uma secreção mais ou menos abundante de bílis ou de quaisquer outros fluidos. É assim, por exemplo, que ao glutão enche-se-lhe a boca de saliva diante dum prato apetitoso.

Certo é que a iguaria não pode excitar o órgão do paladar, uma vez que com ele não tem contacto; é, pois, o Espírito, cuja sensibilidade é despertada, que atua sobre aquele órgão pelo pensamento, enquanto que outra pessoa permanecerá indiferente à vista do mesmo acepipe. É ainda por este motivo que a pessoa sensível facilmente verte lágrimas. Não é, porém, a abundância destas que dá sensibilidade ao Espírito, mas precisamente a sensibilidade deste que provoca a secreção abundante das lágrimas. Sob o império da sensibilidade, o organismo condiciona-se à disposição normal do Espírito, do mesmo modo por que se condiciona à disposição do Espírito glutão.


Seguindo esta ordem de idéias, compreende-se que um Espírito irascível deve encaminhar-se para estimular um temperamento bilioso, do que resulta não ser um homem colérico por bilioso, mas bilioso por colérico. O mesmo se dá em relação a todas as outras disposições instintivas: um Espírito indolente e fraco deixará o organismo em estado de atonia relativo ao seu caráter, ao passo que, ativo e enérgico, dará ao sangue como aos nervos qualidades perfeitamente opostas. A ação do Espírito sobre o físico é tão evidente que não raro vemos graves desordens orgânicas sobrevirem a violentas comoções morais.
A carne só é fraca porque o Espírito é fraco, o que inverte a questão deixando àquele a responsabilidade de todos os seus atos. A carne, destituída de pensamento e vontade, não pode prevalecer jamais sobre o Espírito, que é o ser pensante e de vontade própria.
O Espírito é quem dá à carne as qualidades correspondentes ao seu instinto, tal como o artista que imprime à obra material o cunho do seu gênio. Libertado dos instintos da bestialidade, elabora um corpo que não é mais um tirano de sua aspiração, para espiritualidade do seu ser, e é quando o homem passa a comer para viver e não mais vive para comer.

De: Allan
Para: todos
E-mail: allancarvalho@gmail.com
Data: 12/06/15 08:21

Amélia Rodrigues (espírito), psicografia de Divaldo Franco.

Livro: Vivendo com Jesus



A Sua voz despertara-lhes a dignidade ultrajada, que fora esmagada pelos poderosos do mundo de tal forma que desaparecera completamente, anulando-lhes o sentido existencial, a sua realidade humana. Haviam-nO ouvido na montanha fronteiriça ao mar da Galileia, e o Seu verbo penetrara-lhes os refolhos do ser, como jamais alguma coisa houvesse logrado um resultado semelhante. A Sua mensagem impregnara-os de doçura, e o Seu porte altivo e nobre deslumbrara-os, porquanto permitia que todos com Ele se identificassem, pois, o que Ele falava ultrapassava tudo quanto antes pensavam, e nunca mais seriam os mesmos.

Nas tardes formosas em Cafarnaum, quando a Natureza suspirava o hálito gentil do crepúsculo, na barca de Simão ou na praça do mercado, Ele aparecia e enunciava ditos que nunca foram pronunciados anteriormente. A Sua voz era calma e doce, porém penetrante como um bálsamo delicado, não permitindo que pessoa alguma permanecesse indiferente. As lições, sempre profundas, iam ao encontro direto da Realidade Imortal, sendo que as recomendações psicoterapêuticas de Jesus tinham procedência, porque todas as aflições procedem do ser interior, dos seus atos, devendo-se recompor as paisagens morais a fim de que os males não voltem a povoar o mundo íntimo, dando lugar a danos maiores do que os anteriores.

De: adriano
Para: todos
E-mail: adrianinhochavero@yahoo.com.br
Data: 12/06/15 07:57

\"Todos os Espíritos estão destinados à perfeição, e Deus lhes fornece as maneiras de alcançá-la por meio do filho, Jesus\".

De: Victor Hugo
Para: Todos
E-mail: vhgdebem@gmail.com
Data: 11/06/15 10:19

A verdadeira convicção só se adquire pelo estudo, pela reflexão e por uma observação contínua.
Assim, a fé necessita de uma base, e essa base é a perfeita compreensão daquilo em que se deve crer. Para crer, não basta ver, é necessário compreender.
Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face,em todas as épocas da humanidade.
Portanto, a fé robusta dá a perseverança, a energia e os recursos com que vençamos os obstáculos nas pequenas e grandes coisas.
A esperança e a caridade são uma consequência da fé.

ALLAN KARDEC

De: Wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 11/06/15 08:19

O Mestre Kardec explica em suas obras e artigos, que os espiritos mistificadores e embusteiros tomam nomes falsos e venerados, nomes importantes para IMPRESIONAR as pessoas e enganalas, eles tomam nomes de santos, anjos, sábios e da própria Virgem Maria e usam freqüentemente uma LINGUAGEM melosa, doce e meiga para seduzir as pessoas, eles são maliciosos e sedutores, para evitar isso Kardec orienta que devemos PASSAR TUDO PELO CRIVO SEVERO DA RAZÃO E DA LOGICA, só demos aceitar o que tiver racionalidade, bom sendo, lógica e uma moralidade alta, vejamos as explicações de Kardec.

Revista espírita ANO 1 - OUTUBRO 1858 - Nº. 10

Seja por entusiasmo, por fascinação dos Espíritos, ou por amor-próprio, em geral o médium psicógrafo é levado a crer que são superiores os Espíritos que com ele se comunicam, SOBRETUDO QUANDO TAIS ESPÍRITOS, APROVEITANDO-SE DESSA PRESUNÇÃO, ADORNAM-SE DE TÍTULOS POMPOSOS, TOMANDO NOMES DE SANTOS, DE SÁBIOS, DE ANJOS E DA PRÓPRIA VIRGEM MARIA, CONFORME A NECESSIDADE E SEGUNDO AS CIRCUNSTÂNCIAS. E, PARA DESEMPENHAR SEU PAPEL DE COMEDIANTES, CHEGAM ATÉ MESMO A PORTAR A INDUMENTÁRIA EXTRAVAGANTE DAS PERSONAGENS QUE REPRESENTAM.

Tirai suas máscaras e vereis que se transformam no que sempre foram: ilustres desconhecidos; é o que necessariamente devemos fazer, tanto com os Espíritos, quanto com os homens.

Da crença cega e irrefletida na superioridade dos Espíritos que se comunicam, à confiança em suas palavras não há senão um passo; é o que também acontece entre os homens. Se conseguirem inspirar essa confiança, haverão de sustentá-la por meio de sofismas e dos mais capciosos raciocínios, perante os quais freqüentemente inclinamos a cabeça. Os Espíritos grosseiros são menos perigosos: reconhecemo-los imediatamente e só inspiram repugnância.
Os mais temíveis, em seu mundo, como no nosso, são os Espíritos hipócritas: falam sempre com doçura, lisonjeando as mentes predispostas; são meigos, aduladores, pródigos em expressões de ternura e em protestos de devotamento. É preciso ser realmente forte para resistir a semelhantes seduções. Mas, direis, onde estaria o perigo, desde que os Espíritos são impalpáveis? O perigo está nos conselhos perniciosos que dão, aparentemente benévolos, e nos passos ridículos, intempestivos ou funestos a que somos induzidos. Já vimos alguns Espíritos fazerem com que certas pessoas corressem de país em país, à procura das coisas mais fantásticas, sob o risco de comprometerem a saúde, a fortuna e a própria vida. Vimo-los ditar, com toda aparência de gravidade, as coisas mais burlescas, as máximas mais estranhas.

ANO 1 - OUTUBRO 1858 - Nº. 10



SE NÃO QUISERMOS SER VÍTIMAS DE ESPÍRITOS LEVIANOS, É NECESSÁRIO JULGÁ-LOS, E PARA ISSO TEMOS UM CRITÉRIO INFALÍVEL: O BOM SENSO E A RAZÃO.

Sabemos que as qualidades de linguagem, que caracterizam entre nós os homens realmente bons e superiores, são as mesmas para os Espíritos. Devemos julgá-los por sua linguagem. Nunca seria demais repetir o que a caracteriza nos Espíritos elevados: é constantemente digna, nobre, sem basófia nem contradição, isenta de trivialidades, marcada por um cunho de inalterável benevolência. Os bons Espíritos aconselham; não ordenam; não se impõem; calam-se naquilo que ignoram. Os Espíritos levianos falam com a mesma segurança do que sabem e do que não sabem; a tudo respondem sem se preocuparem com a verdade. Em mensagem supostamente séria, vimo-los, com imperturbável audácia, colocar César no tempo de Alexandre; outros afirmavam que não é a Terra que gira em redor do Sol.
RESUMINDO: TODA EXPRESSÃO GROSSEIRA OU APENAS INCONVENIENTE, TODA MARCA DE ORGULHO E DE PRESUNÇÃO, TODA MÁXIMA CONTRÁRIA À SÃ MORAL, TODA NOTÓRIA HERESIA CIENTÍFICA É, NOS ESPÍRITOS COMO NOS HOMENS, INCONTESTE SINAL DE NATUREZA MÁ, DE IGNORÂNCIA OU, PELO MENOS, DE LEVIANDADE.

DE ONDE SE SEGUE QUE É NECESSÁRIO PESAR TUDO QUANTO ELES DIZEM, PASSANDO-O PELO CRIVO DA LÓGICA E DO BOM SENSO. Eis uma recomendação feita incessantemente pelos bons Espíritos. Dizem eles: Deus não vos deu o raciocínio sem propósito. Servi-vos dele a fim de saber o que estais fazendo. “Os maus Espíritos temem o exame. Dizem eles: Aceitai nossas palavras e não as julgueis”. Se tivessem a consciência de estar com a verdade, não temeriam a luz.

O hábito de perscrutar as menores palavras dos Espíritos, de lhes pesar o valor – do ponto de vista do conteúdo e não da forma gramatical, com que pouco se preocupam eles – naturalmente afasta os Espíritos mal intencionados, que não viriam então inutilmente perder o tempo, de vez que rejeitamos tudo quanto é mau ou tem origem suspeita. Mas quando aceitamos cegamente tudo quanto dizem, quando, por assim dizer, nos ajoelhamos ante sua pretensa sabedoria, eles fazem o que fariam os homens, eles abusam de nós.

Revista espírita setembro de 1859.


...os Espíritos estão longe de ter a soberana ciência e que podem se enganar; que, freqüentemente, emitem suas próprias idéias, que podem ser justas ou falsas; que os Espíritos superiores querem que nosso julgamento se exerça em discernir o verdadeiro do falso, o que é racional do que é ilógico; é por isso que não aceitamos, jamais, nada de olhos fechados. Não se saberia, pois, nela ter ensinamento proveitoso sem discussão; mas como discutir comunicações com médiuns que não suportam a menor controvérsia, que se ferem com uma nota crítica, com uma simples observação, ...


REVISTA ESPÍRITA
Jornal de Estudos Psicológicos
publicada sob a direção de Allan Kardec
ANO 1 - SETEMBRO 1858 - Nº. 9


Com efeito, a facilidade com que certas pessoas aceitam tudo o que vem do mundo invisível sob a cobertura de um grande nome é o que encoraja os Espíritos mistificadores. Devemos aplicar toda a nossa atenção em desfazer as tramas desses Espíritos, mas só o podemos fazer com a ajuda da experiência, adquirida através de um estudo sério. Por isso repetimos sem cessar: estudai antes de praticar, pois é esse o único meio de não terdes de adquirir a experiência à vossa própria custa.

A malandragem dos Espíritos mistificadores ultrapassa às vezes tudo que se possa imaginar. A arte com que assestam as suas baterias e tramam os meios de persuadir seria digna de atenção, caso se limitassem a brincadeiras inocentes. Mas as mistificações podem ter conseqüências desagradáveis para os que não se previnam. Somos muito felizes por termos podido abrir os olhos a tempo a muitas pessoas que nos pediram conselhos, livrando-as de situações ridículas e comprometedoras.
Entre os meios empregados por esses Espíritos devemos colocar em primeiro lugar, como os mais freqüentes, os que excitam a cupidez, como a revelação de pretensos tesouros ocultos, o anúncio de heranças e de outras fontes de riqueza. Devem também considerar-se desde logo suspeitas as predições com épocas marcadas e todas as indicações precisas referentes a interesses materiais. Toda cautela com as providências prescritas ou aconselhadas pelos Espíritos, quando os fins não forem claramente razoáveis.
Jamais se deixar ofuscar pelos nomes usados pelos Espíritos para darem validade às suas palavras. Desconfiar das teorias e sistemas científicos ousados. Enfim, desconfiar de tudo o que se afaste do objetivo moral das manifestações. Poderíamos escrever um volume dos mais curiosos com as estórias de todas as mistificações que têm chegado ao nosso conhecimento.
SUBMETENDO-SE TODAS AS COMUNICAÇÕES A RIGOROSO EXAME, SONDANDO E ANALISANDO SUAS IDÉIAS E EXPRESSÕES, COMO SE FAZ AO JULGAR UMA OBRA LITERÁRIA E REJEITANDO SEM HESITAÇÃO TUDO O QUE FOR CONTRÁRIO À LÓGICA E AO BOM SENSO, TUDO O QUE DESMENTE O CARÁTER DO ESPÍRITO QUE SE PENSA ESTAR MANIFESTANDO, CONSEGUE-SE DESENCORAJAR OS ESPÍRITOS MISTIFICADORES QUE ACABAM POR SE AFASTAR, DESDE QUE SE CONVENÇAM DE QUE NÃO PODEM NOS ENGANAR. REPETIMOS QUE ESTE É O ÚNICO MEIO, MAS É INFALÍVEL PORQUE NÃO EXISTE COMUNICAÇÃO MÁ QUE RESISTA A UMA CRÍTICA RIGOROSA. OS ESPÍRITOS BONS JAMAIS SE OFENDEM, POIS ELES MESMOS NOS ACONSELHAM A PROCEDER ASSIM E NADA TÊM A TEMER DO EXAME. SOMENTE OS MAUS SE MELINDRAM E PROCURAM DISSUADIR-NOS, PORQUE TÊM TUDO A PERDER. E POR ESSA MESMA ATITUDE PROVAM O QUE SÃO.
Eis o conselho dado por São Luís a respeito:
\"Por mais legítima confiança que vos inspirem os Espíritos dirigentes de vossos trabalhos, há uma recomendação que nunca seria demais repetir e que deveis ter sempre em mente ao vos entregardes aos estudos: a de pesar e analisar, submetendo ao mais rigoroso controle da razão todas as comunicações que receberdes; a de não negligenciar, desde que algo vos pareça suspeito, duvidoso ou obscuro, de pedir as explicações necessárias para formar a vossa opinião.\"
Allan Kardec da obra O Livro dos Mediuns.

Wilson Moreno

De: Jaine
Para: Amigos e Inimigos
E-mail: jaine22@bol.com.br
Data: 10/06/15 20:23

Venho agradecer a Jesus Cristo por tudo que me destes até hoje,guarde as pessoas que me rodeiam e principalmente os que estão me provocando para que eu perca a paciência mas tudo irá dar certo conto com os companheiros espirituais para que eu seja feliz e supere as dificuldades e as provações que estão me testando,ajude-me em todos os sentidos e que eu possa fazer o certo e afaste o rapáz novato que está me fazendo perder a minha dignidade que eu possa vencerr e não deixar nada me acontecer guarde minha família irmãs,sobrinhos e sobrinhas e amigos e inimigos também proteja-me sempre paz e luz.

De: Victor Hugo
Para: Todos
E-mail: vhgdebem@gmail.com
Data: 08/06/15 10:28

\"No conhecimento do perispírito está a chave de inúmeros problemas até hoje insolúveis\". Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, cap. I.
......

CONDUTA ESPÍRITA

Usar com prudência ou substituir toda expressão verbal que indique costumes, práticas, idEias políticas, sociais ou religiosas, contrárias ao pensamento espírita, quais sejam sorte, acaso, sobrenatural, milagre e outras, preferindo-se, em qualquer circunstância, o uso da terminologia doutrinária pura.

André Luiz (espírito)

Libertar-se das cadeias mentais oriundas do uso de talismãs e votos, pactos e apostas, artifícios e jogos de qualquer natureza, enganosos e prescindíveis.

“Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos.” — Paulo.

(II CORÍNTIOS, 13:5.)

De: Wilson
Para: Andreia
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 06/06/15 14:27

Os Espíritos maus descobrem as chagas da alma, como as moscas descobrem as do corpo. Assim, pois, como limpais o corpo para evitar as bicheiras, limpai também a alma das suas impurezas, para evitar as obsessões.

Todo mau pensamento pode ter duas origens: a nossa própria imperfeição espiritual, ou uma funesta influência que age sobre ela. Neste último caso, temos a indicação de uma fraqueza que os expõe a essas influências, e portanto de que a nossa alma é imperfeita. Dessa maneira, aquela que falir não poderá desculpar-se com a simples influência de um Espírito estranho, desde que ESSE ESPÍRITO NÃO PODERIA LEVÁ-LO AO MAL, SE O ENCONTRASSE INACESSÍVEL À SEDUÇÃO.

Quando temos um mau pensamento, podemos supor que um Espírito malfazejo nos sugere o mal, cabendo-nos inteira liberdade de ceder ou resistir, como se estivéssemos diante da solicitação de uma pessoa viva. Devemos ao mesmo tempo imaginar o nosso Anjo Guardião ou Espírito Protetor, que por sua vez combate em nós essa influência má, esperando com ansiedade a decisão que vamos tomar. Nossa hesitação em atender ao mal é devida à voz do Bom Espírito, que se faz ouvir pela nossa consciência.

Reconhece-se um mau pensamento quando ele se distancia da caridade, que é à base de toda moral verdadeira; quando vem carregado de orgulho, vaidade e egoísmo; quando a sua realização pode causar algum prejuízo a outra pessoa; quando, enfim,nos propõe fazer aos outros o que não quereríamos que os outros nos fizessem.

TODAS AS FÓRMULAS SÃO CHARLATANICES; NÃO HÁ NENHUMA PALAVRA SACRAMENTAL, NENHUM SIGNO CABALÍSTICO, NENHUM TALISMÃ QUE TENHA QUALQUER AÇÃO SOBRE OS ESPÍRITOS, PORQUE ELES SÓ SÃO ATRAÍDOS PELO PENSAMENTO E NÃO PELAS COISAS MATERIAIS.

Os maus Espíritos só estão aonde podem satisfazer a sua perversidade. Para afastá-los, não basta pedir, nem mesmo ordenar que se retirem: é necessário eliminar em nós aquilo que os atrai. Os Espíritos maus descobrem as chagas da alma, como as moscas descobrem as do corpo. Assim, pois, como limpais o corpo para evitar as bicheiras, limpai também a alma das suas impurezas, para evitar as obsessões. Como vivemos num mundo em que os maus Espíritos pululam, as boas qualidades do coração nem sempre nos livram das suas tentativas, mas nos dão a força necessária para resistir-lhes.

Assim como as doenças são o resultado das imperfeições físicas, que tornam o corpo acessível às influências perniciosas do exterior, a obsessão é sempre o resultado de uma imperfeição moral, que dá acesso a um mau Espírito. A uma causa física, opõe-se uma força física; a uma causa moral, é necessário opor uma força moral. Para preservar das doenças, fortifica-se o corpo; para garantir contra a obsessão, é necessário fortificar a alma. Disso resulta que o obsedado precisa trabalhar pela sua própria melhoria, o que na maioria das vezes é suficiente para o livrar do obsessor, sem socorrer-se de outras pessoas. Esse socorro se torna necessário quando a obsessão degenera em subjugação e em possessão, porque o paciente perde, por vezes, a sua vontade própria e o seu livre arbítrio.

Allan Kardec da obra O Evangelho seg Espiritismo.


Os maus espíritos não têm nenhum poder sobre as pessoas de Bem, os bons pensamentos, os sentimentos elevados e as atitudes corretas e honestas, vão sempre repelir as influências espirituais negativas, o Bem é mais forte que o mal, são as nossas imperfeições morais que atraem os espíritos inferiores, perturbadores e obsessores, portanto, a nossa luta é contra as nossas imperfeições morais, combatendo elas os maus espíritos se afastam gradualmente. Assim como as moscas farejam as chagas do corpo, os maus espíritos farejam as chagas morais da alma, para afastar as moscas basta limpar o corpo das suas impurezas físicas, da mesma forma, a pessoa se depurando das suas impurezas morais, ela consegue repelir os espíritos perturbadores e obsessores.
É NA ELEVAÇÃO MORAL DOS PENSAMENTOS E SENTIMENTOS E NA PRÁTICA SINCERA DO BEM E DAS VIRTUDES, QUE ESTÁ A DEFESA PSÍQUICA CONTRA OS MAUS ESPÍRITOS.
NÃO ADIANTA USAR AMULETOS, TALISMÃ, VELAS, ROUPAS BRANCAS, IMAGENS DE SANTOS, PALAVRAS SACRAMENTAIS, SINAIS CABALÍSTICOS, NADA DISSO FUNCIONA, TUDO RESIDE EM NOSSOS PENSAMENTOS E SENTIMENTOS.
Seria muito fácil e cômodo usar um amuleto, um talismã, usar roupas brancas, imagens de santos, fazer exorcismos etc...
Para afastar os maus espíritos temos que buscar a nossa Reforma Moral na pratica do Bem e das Virtudes e cultivar pensamentos elevados e nobres, somente isso.

Como disse Kardec.

Os Espíritos maus descobrem as chagas da alma, como as moscas descobrem as do corpo. Assim, pois, como limpais o corpo para evitar as bicheiras, limpai também a alma das suas impurezas, para evitar as obsessões.

TODAS AS FÓRMULAS SÃO CHARLATANICES; NÃO HÁ NENHUMA PALAVRA SACRAMENTAL, NENHUM SIGNO CABALÍSTICO, NENHUM TALISMÃ QUE TENHA QUALQUER AÇÃO SOBRE OS ESPÍRITOS, PORQUE ELES SÓ SÃO ATRAÍDOS PELO PENSAMENTO E NÃO PELAS COISAS MATERIAIS.

Estudem Kardec.
Cuidado com os romances mediúnicos e as obras mediúnicas, a maioria delas são tudo fantasias e mistificações, Kardec neles.

Wilson Moreno


De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 06/06/15 10:07

Eu gosto de estudar as mistificações e os espíritos embusteiros do plano astral, é uma pena que meus textos não são divulgados




Como orienta Kardec, NÃO HÁ COMUNICAÇÃO MÁ QUE RESISTA A UMA CRÍTICA RIGOROSA.

Temos que usar sempre o discernimento, o julgamento das comunicações mediúnicas, a critica construtiva e positiva, não podemos aceitar nada sem exame, tudo tem que ser analisado com muito cuidado e critérios.
Temos que passar pelo crivo severo da razão e da lógica as informações dada pelos espíritos desencarnados, qualquer ofensa a razão, a lógica e ao bom senso denúncia a presença de espíritos atrasados e inferiores.
Um exemplo, os espíritos de luz ou espíritos elevados não precisam de coisas matérias como velas, despachos, bebidas alcoólicas, cigarros, charutos, somente espíritos ainda apegados a matéria é que pedem essas coisas, espíritos sem luz, sem esclarecimentos.
Entidades que bebem e fumam não merecem nenhuma confiança, elas são espertas, maliciosas, mentirosas, sabem manipular as palavras para enganar as pessoas, muitos desses espíritos embusteiros e mistificadores usam nomes falsos, venerados e pomposos para enganar e usam quase sempre uma linguagem melosa, doce e meiga para SEDUZIR e iludir.
O plano deles é seduzir.
Os espíritos de luz ou espíritos bons e elevados só tratam de assuntos nobres, dignos, elevados, eles procuram MORALIZAR as pessoas, incentivando elas a seguirem o caminho do bem, das virtudes, da elevação moral, da caridade e do respeito.
Os espíritos de luz pregam as Virtudes e a elevação Moral, os espíritos ainda apegados a matéria geralmente tratam de questões terra a terra, questões vulgares sem pureza moral, assuntos como amarração, volta da pessoa amada, como ganhar dinheiro ou ficar rico sem trabalho, como conseguir mulheres, sorte no jogo etc...
Os espíritos de luz nunca vão incentivar uma pessoa a beber, fumar ou fazer despachos, oferendas e sacrifícios de pobres animais.
OS ESPÍRITOS DE LUZ PREGAM O RESPEITO E O AMOR PELOS ANIMAIS.

Temos que entender que no mundo espiritual existem muitos espíritos mentirosos, enganadores, espertos, hipócritas, sedutores, não podemos confiar abertamente neles, temos que examinar tudo de forma racional, sem empolgações ou entusiasmos, qualquer vacilo eles nos enganam.
Vejamos as colocações de Allan Kardec sobre essas questões.


“Segue-se que a opinião de um Espírito sobre um princípio qualquer não é considerada pelos espíritas senão como uma opinião individual, que pode ser justa ou falsa, e não tem valor senão quando é sancionada pelo ensino da maioria, dado sobre os diversos pontos do globo”. (Revista Espírita, 1865)

“Mas nunca será demasiado repetir: não aceiteis nada cegamente. Que cada fato seja submetido a um exame minucioso, aprofundado e severo.” (O Livro dos Médiuns – Kardec – item 98)



Caríssimos, não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus, porque são muitos os falsos profetas, que se levantaram no mundo. (João, Epístola I, cap. IV: 1).

Os fenômenos espíritas, longe de confirmarem os falsos cristos e os falsos profetas, como algumas pessoas gostam de dizer, vêm, pelo contrário, dar-lhes o último golpe. Não soliciteis milagres nem prodígios ao Espiritismo, porque ele declara formalmente que não os produz. Da mesma maneira que a Física, a Química, a Astronomia, a Geologia, revelaram as leis do mundo material, ele vem revelar outras leis desconhecidas, que regem as relações do mundo corpóreo com o mundo espiritual. Essas leis, tanto quanto as científicas, pertencem também à natureza. Dando, assim, a explicação de uma ordem de fenômenos até agora incompreendidos, o Espiritismo destrói o que ainda restava do domínio do maravilhoso.

Como se vê, os que fossem tentados a explorar esses fenômenos em proveito próprio, fazendo-se passar por enviado de Deus, não poderiam abusar por muito tempo da credulidade alheia, e bem logo seriam desmascarados. Aliás, como já ficou dito, esses fenômenos nada provam por si mesmos: a missão se prova por efeitos morais, que nem todos podem produzir. Esse é um dos resultados do desenvolvimento da ciência espírita, que pesquisando a causa de certos fenômenos, levanta o véu de muitos mistérios. Os que preferem a obscuridade à luz, são os únicos interessados em combatê-la. Mas a verdade é como o Sol: dissipa os mais densos nevoeiros.

O Espiritismo vem revelar outra categoria de falsos cristos e de falsos profetas, bem mais perigosa, e que não se encontra entre os homens, mas entre os desencarnados. É a dos Espíritos enganadores, hipócritas, orgulhosos e pseudo-sábios, que passaram da Terra para a erraticidade e se disfarçam com nomes veneráveis, para procurar, através da máscara que usam, tornar aceitáveis as suas idéias, freqüentemente as mais bizarras e absurdas. Antes que as relações mediúnicas fossem conhecidas, eles exerciam a sua ação de maneira mais ostensiva, pela inspiração, pela mediunidade inconsciente, auditiva ou de incorporação. O número dos que, em diversas épocas, mas sobretudo nos últimos tempos, se apresentaram como alguns dos antigos profetas, como o Cristo, como Maria, e até mesmo como Deus,é considerável.

São João nos põe em guarda contra eles, quando adverte: “Meus bem amados, não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus; porque muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. O Espiritismo nos oferece os meios de experimentá-los, ao indicar as características pelas quais se reconhecem os bons Espíritos, características sempre morais e jamais materiais. (Ver o Livro dos Médiuns, Caps. 24 e segs.). É sobretudo ao discernimento dos bons e dos maus Espíritos, que podemos aplicar as palavras de Jesus: “Reconhece-se à árvore pelos seus frutos; uma boa árvore não pode dar maus frutos, e uma árvore má, não pode dar bons frutos”. Julgam-se os Espíritos pela qualidade de suas obras, como a árvore pela qualidade de seus frutos.

* O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo 21 - Tradução de José Herculano Pires


De: Victor Hugo
Para: Andréia
E-mail: vhgdebem@gmail.com
Data: 05/06/15 17:20

Cara irmã, que a Paz do Amado Mestre Jesus lhe envolva hoje e sempre!

Lembre-se: Vigiai e Orai! Força de vontade!

Vá à Casa Espírita ouvir as palestras. Sua vibração se elevará e você se reequilibrará.

Fique com DEUS

\"Pensamentos infelizes nos ocorrem a todos; cabe-nos, porém, a devida vigilância para rebatê-los com o escudo do bom senso a fim de que nossa vida interior se desenvolva em tranqüilidade\". Sheilla (espírito) / psicografia de Chico Xavier.

\"Conforme dirijas a mente recolherás os resultados. Possuis todos os recursos ao alcance da vontade!\" Joanna de Ângelis

De: Andréia
Para: Todos
E-mail: deiabitten@gmail.com
Data: 05/06/15 16:07

Boa tarde a todos,

O que acontece comigo que ultimamente estou agressiva com o meu namorado e família?
Frequento centro espírita e sempre procuro ajuda espiritual, quase todas as noite agradeço a Deus e sempre peço coisas boas para mim e minha família, mas não sei o que acontece que fico agressiva e me muito mal depois que faço, o que posso fazer para reverter essa situação e não machucar mais meus entes queridos?

De: wilson
Para: Os estudiosos
E-mail: wilsonmoreno67@gmail.com
Data: 04/06/15 09:41

A cura da obsessão

Você é um ser humano adulto e consciente, responsável pelo seu comportamento. Controle as suas ideias, rejeite os pensamentos inferiores e perturbadores, estimule as suas tendências boas e repila as más. Tome conta de si mesmo. Deus concedeu a jurisdição de si mesmo, é você quem manda em você nos caminhos da vida. Não se faça de criança mimada. Aprenda a se controlar em todos os instantes e em todas as circunstâncias. Experimente o seu poder e verá que ele é maior do que você pensa.
A cura da obsessão é uma autocura.

NINGUÉM PODE LIVRAR VOCÊ DA OBSESSÃO SE VOCÊ NÃO QUISER LIVRAR-SE DELA.
Comece a livrar-se agora, dizendo a você mesmo: sou uma criatura normal, dotada do poder e do dever de dirigir a mim mesmo. Conheço os meus deveres e posso cumpri-los. Deus me ampara.
Repita isso sempre que se sentir perturbado. Repita e faça o que disse. Tome a decisão de se portar como uma criatura normal que realmente é, confiante em Deus e no poder das forças naturais que estão no seu corpo e no seu espírito, à espera do seu comando. Dirija o seu barco.

Reformule o seu conceito de si mesmo. Você não é um pobrezinho abandonado no mundo. Os próprios vermes são protegidos pelas leis naturais. Por que motivo só você não teria proteção? Tire da mente a ideia de pecado e castigo. O que chamam de pecado é o erro, e o erro pode e deve ser corrigido. Corrija-se. Estabeleça pouco a pouco o controle de si mesmo, com paciência e confiança em si mesmo.
Você não depende dos outros, depende da sua mente. Mantenha a mente arejada, abra suas janelas ao mundo, respire com segurança e ande com firmeza. Lembre-se dos cegos, dos mudos e dos surdos, dos aleijados e deficientes que se recuperam confiando em si mesmos. Desenvolva a sua fé. Fé é confiança. Existe a fé divina, que é a confiança em Deus e no Seu poder que controla o Universo. Você, racionalmente, pode duvidar disso? Existe a fé humana, que é a confiança da criatura em si mesma. Você não confia na sua inteligência, no seu bom senso, na sua capacidade de ação? Você se julga um incapaz e se entrega às circunstâncias, deixando-se levar por ideias degradantes a seu respeito? Mude esse modo de pensar, que é falso.

Quando vier às reuniões de desobsessão, venha confiante. Os que o esperam estão dispostos a auxiliá-lo. Seja grato a essas criaturas que se interessam por você e ajude-as com sua boa vontade. Se você fizer isso, a sua obsessão já começou a ser vencida. Não se acovarde, seja corajoso.


ROTEIRO DA DESOBSESSÃO

Ao acordar, diga a si mesmo: Deus me concede mais um dia de experiências e aprendizado. É fazendo que se aprende. Vou aproveitá-lo. Deus me ajuda. (Repita isso várias vezes, procurando manter essas palavras na memória. Repita-as durante o dia.)

COMPREENDA QUE A OBSESSÃO É UM ESTADO DE SINTONIA DA SUA MENTE COM MENTES DESEQUILIBRADAS. CORTE ESSA SINTONIA LIGANDO-SE A PENSAMENTOS BONS E ALEGRES. REPILA AS IDEIAS MÁS. COMPREENDA QUE VOCÊ NASCEU PARA SER BOM E NORMAL. AS MÁS IDEIAS E OS MAUS PENDORES EXISTEM PARA VOCÊ VENCÊ-LOS, NUNCA PARA SE ENTREGAR A ELES.

Mude sua maneira de encarar os semelhantes. Na essência, somos todos iguais. Se ele está irritado, não entre na sua irritação. Ajude-o a se reequilibrar, tratando-o com bondade. A irritação é sintonia de obsessão. Não se deixe envolver pela obsessão do outro. Não o considere agressivo. Certamente ele está sendo agredido e reage erradamente contra os outros. Ajude-o que será também ajudado.

VIGIE OS SEUS SENTIMENTOS, PENSAMENTOS E PALAVRAS NAS RELAÇÕES COM OS OUTROS. O QUE DAMOS, RECEBEMOS DE VOLTA.

Não se considere vítima. Você pode estar sendo algoz sem perceber. Pense nisso constantemente, para melhorar as relações com os outros. Viver é permutar. Examine o que você troca com os outros.

Ao sentir-se abatido, não entre na fossa. É difícil sair dela. Lembre-se de que você está vivo, forte, com saúde, e dê graças a Deus por isso. Seus males são passageiros, mas se você os alimentar eles durarão. É você que sustenta os seus males. Cuidado com isso.

Frequente a instituição espírita com que se sintonize. Não fique pulando de uma para outra. Quem não tem constância nada consegue.

Se você ouve vozes, não lhes dê atenção. Responda simplesmente: Não tenho tempo a perder. Tratem de se melhorar enquanto é tempo. Vocês estão a caminho do abismo. Cuidem-se. E peça aos bons Espíritos, em pensamento, por esses obsessores.

Se você sente toques de dedos ou descargas elétricas, repila esses espíritos brincalhões da mesma maneira e ore mentalmente por eles. Não lhes dê atenção nem se assuste com esses efeitos físicos. Leia diariamente, de manhã ou à noite, ao deitar-se, um trecho de O Evangelho Segundo o Espiritismo e medite sobre o que leu. Abra o livro ao acaso e não pense que a lição é só para você. Geralmente é só para os obsessores, mas você também deve aproveitá-la. No caso de visões a técnica é a mesma. Nunca se amedronte. É isso que eles querem, pois com isso se divertem. Esses pobres espíritos nada podem fazer além disso, a menos que você queira brincar com eles, o que lhe custará seu aumento da obsessão. Corte as ligações que eles querem estabelecer com você, usando o poder da sua vontade. Se fingirem ser um seu parente ou amigo falecido, não se deixe levar por isso. Os amigos e parentes se comunicam em sessões regulares, não querem perturbar.

Leia o livro de Allan Kardec O que é o Espiritismo; mas de Kardec, não outros de autores diversos, que fazem confusões. Trate de estudar a Doutrina nas demais obras de Kardec.

Não se deixe atrair por macumbas e as diversas formas de mistura de religiões africanas com as nossas crendices nacionais. Não pense que alguém lhe pode tirar a obsessão com as mãos. Os passes têm por finalidade a transmissão de fluidos, de energias vitais e espirituais para fortificar a sua resistência. Não confie em passes de gesticulação excessiva e outras fantasias. O passe é simplesmente a imposição das mãos, ensinada por jesus e praticada por ele. É uma doação humilde e não uma encenação, dança ou ginástica. Não carregue amuletos nem patuás ou colares milagrosos. Tudo isso não passa de superstições provindas de religiões das selvas. Você não é selvagem, é uma criatura civilizada capaz de raciocinar e só admitir a fé racional. Estude o espiritismo e não se deixe levar por tolices. Dedique-se ao estudo, mas não queira saltar de aprendiz a mestre, pois o mestrado em espiritismo só se realiza no plano espiritual. Na terra somos todos aprendizes, com maior ou menor grau de conhecimento e experiência.

Da obra Obsessão, o Passe, a Doutrinação.
Herculano Pires.

 
 
Busca
  
  
  
 
Temas Importantes
- Reencarnação
- Obsessão
- Mediunidade
 
Divulgação
- Indique o Site
- Adicione aos Favoritos
 
Mensagem do dia
“Em cada manhã na Terra, a luz do Sol assemelha-se a um cântico de esperança e de alegria”. Meimei
 
Boletim Eletrônico
Cadastre seu e-mail e receba mensagens de Luz, textos e outras informações.
E-mail

Assinar Remover
Copyright© 2004/2015 - O Espiritismo - Araraquara/SP - Todos os direitos reservados

Webmaster